Desmistificando o malte: saiba tudo sobre ele

O malte hoje é um dos ingredientes mais importantes em qualquer receita de cerveja e, depois da água, é também o que está presente em maior quantidade. Feito, principalmente, a partir de grãos de cevada, é a fonte de amido que levará à produção do mosto (explicamos mais sobre o processo de fabricação aqui).

No post de hoje falaremos sobre o que é o malte, o processo de maltagem, quais os cereais maltados e não maltados, além do que são as conhecidas “cervejas puro malte”. Fique de olho!

O que é o malte?

Apesar de o mais conhecido e tradicional usado nas cervejas ser a cevada, o malte é qualquer grão (cereal) que tenha passado pelo processo de maltagem. Outros cereais que também podem ser usados nas receitas são: trigo, aveia, arroz e milho.

Como é feito o processo de maltagem

Na maltagem, o grão é umedecido e exposto a temperaturas favoráveis à germinação. Quando a raiz e o caule começam a aparecer, o processo é interrompido e o cereal é seco e torrado.

Nessa etapa, o amido é transformado em açúcares simples. A partir disso, é criado o mosto (cerveja antes de ser fermentada), essencial para as leveduras produzirem o álcool e continuarem o processo da produção da bebida.

É nesse processo que o grão se torna malte. Ele também é fundamental para a caracterização e qualidade da cerveja, porque a composição do malte é a responsável pela cor, aroma e tipo de espuma da bebida. Um malte mais torrado deixa a cerveja escura e o menos a deixa mais clara, por exemplo.

Outras contribuições do malte na cerveja

Além de ser responsável pela produção do álcool e gás carbônico (que se transforma em espuma), dependendo do grau de torra do malte, a coloração da cerveja pode variar do amarelo palha para o dourado, vermelho, cobre, marrom e negro opaco.

O malte ainda serve para dar textura (corpo, sensação de cremosidade), dulçor, retenção de espuma, filtragem, sabor e aromas à bebida. Bastante coisa, não é mesmo?

Quais os grãos maltados e não maltados

Nem todo cereal é maltado e isso pode acontecer por diversos fatores. Por exemplo, o grão pode ser pobre em enzimas ou elas podem ser destruídas no processo de torra, e isso faz com que não compense passar pelo processo de maltagem. Porém, cada grão tem sua importância e receita!

Os grãos maltados, portanto, são aqueles que possuem muitas enzimas e amido em sua composição, como é o caso da cevada e do trigo (que também pode ser não maltado), por exemplo. Já o milho, arroz e sorgo geralmente não são maltados, por não possuírem a mesma composição ou pela quantidade de enzimas e amido serem mínimas.

Cervejas puro malte

Temos ouvido muito esse termo por aí, mas muitas pessoas não sabem o que ele significa. As cervejas puro malte nada mais são do que as que têm todos os açúcares provenientes do malte de algum grão. Ou seja, são aquelas que não tem nenhum cereal não maltado em sua composição.

Ler sobre todo esse processo te deixou com vontade de experimentar uma de nossas opções da casa? É só clicar aqui. E para você que é um apreciador da bebida, saiba que nosso lançamento das latas de colecionador com 7 sabores exclusivos ainda está rolando. Garanta já a sua aqui!

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on pinterest
Pinterest
Share on twitter
Twitter

DESCUBRA O QUE TEM EM NOSSAS TORNEIRAS HOJE

Somos o melhor BrewPub do Brasil, com 36 torneiras de cerveja especial local! Produções exclusivas, desde a cerveja à gastronomia, venha devorar sua cerveja!

Loja 01 | Alameda Muffato | Av. João Paulino Vieira Filho, 190 – Maringá/PR

Loja 02 | Mercadão de Maringá | Av. Prudennte de Morais, 601 – Maringá/PR

FALE CONOSCO

Copyright © Sabores do Malte 2021. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Fabrika